PsicologiaComo enfrentar o isolamento social

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/08/stay-at-home-5094607_1920-1280x853.jpg

Desde o final de 2019, o mundo assistiu ao crescimento de casos do coronavírus, um novo vírus causador da doença COVID-19. Com a transmissão se espalhando por todas as partes do mundo, o Brasil foi registrando os primeiros casos e, em meados de março, o País decretou estado de calamidade pública, suspendendo uma série de serviços e orientando a população a se isolar em suas casas para diminuir o contágio da doença.

Em meio a uma série de incertezas gerada pela pandemia, a população se viu em uma nova realidade de distanciamento social: diminuição de aglomeração de pessoas, contato físico limitado com familiares e amigos, aulas e trabalho passaram a ser feitos de casa e novos hábitos de desinfecção e higiene precisaram ser adotados. Diante de drásticas mudanças, o que se viu foi o impacto no equilíbrio emocional, culminando no aumento do estresse, da ansiedade e da depressão. Muitas pessoas, por conta do grande medo de contrair a doença, também acabaram desenvolvendo sintomas psicológicos e fisiológicos que os levaram a acreditar que estavam contaminados.

Encarar a frustração com a nova realidade imposta pelo coronavírus não tem sido fácil. Além do isolamento social a que todos foram expostos, muitos ainda vivem o luto de ter perdido alguém por conta da doença ou vivem dificuldades financeiras devido aos serviços afetados pela pandemia. Apesar de vivermos um momento tão delicado e difícil, é possível diminuir muitas das sensações ruins e melhorar a saúde mental. Os psicólogos da PSISEG reuniram algumas dicas para enfrentar o isolamento social de forma mais leve. Confira:

– Mantenha uma rotina: não fique o dia todo de pijama na cama, estabeleça uma rotina de trabalho e horários para tarefas de casa. Crie uma rotina de sono e atividades físicas. Se você mora com seus familiares, não deixe de incluir tempo para atividades em grupo, especialmente se você tem crianças em casa. Tudo isso ajuda a manter a cabeça ocupada e produtiva, ajudando a diminuir a ansiedade.

– Utilize a tecnologia a seu favor: conecte-se com seus amigos e familiares distantes, ainda que virtualmente. Esses momentos diminuem a sensação de solidão e até de tristeza. Dedique um tempo para ouvir entes queridos e para compartilhar aflições.

– Não esqueça do lazer: reserve um espaço do seu dia para focar em atividades prazerosas feitas dentro de casa. Escute música, veja séries ou filmes, cozinhe, leia. Aproveite o tempo que você ficava no trânsito para se dedicar a algo que você não podia fazer antes, como assistir aulas ou cursos gratuitos de algo que você gostaria de aprender ou tem algum interesse. Uma série de aplicativos estão disponíveis ao público ensinando meditação, atividades artesanais e novos idiomas.

– Não enfrente o isolamento sozinho: mesmo que você ocupe o seu tempo com atividades variadas, é preciso cuidados específicos com a saúde mental. Caso identifique algum distúrbio emocional, seja o aumento de tristeza ou da ansiedade, afetando a sua rotina e prejudicando o seu dia a dia, procure ajuda de um especialista que possa oferecer acolhimento no controle emocional, no autoconhecimento e na autoestima.

 

Na PSISEG, nossos psicólogos estão atendendo também de forma online. Aqui desenvolvemos um trabalho personalizado, de acordo com os conflitos de cada paciente. Conte conosco para enfrentar este momento!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/03/psiseg_logo_braco_m.png

Visite-nos nas redes sociais:

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/03/psiseg_logo_braco.png

Visite-nos nas redes sociais:

© Copyright 2020 – PSISEG – Todos os direitos reservados.

© Copyright 2020 – PSISEG – Todos os direitos reservados.