PsicologiaAbuso sexual infantil: saiba como proteger as crianças da violência

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/08/swing-1365713_1920-1280x853.jpg

Violência contra criança vira e mexe toma os holofotes dos noticiários e o tema acaba ganhando grande repercussão com alguns casos específicos. No entanto, a realidade mostra que, infelizmente, o abuso sexual infantil não acontece esporadicamente e é muito mais comum do que se imagina.

Embora seja frequente em muitos lares brasileiros, o tema nem sempre é abordado e exposto da maneira como deveria, especialmente por grande parte dos abusos sexuais contra crianças acontecerem na própria família ou o abusador ser uma pessoa próxima da vítima.

Muitas vezes, os casos acabam não sendo denunciados e a notificação às autoridades acabam nem acontecendo, seja porque pessoas próximas não têm conhecimento do abuso ou pelo próprio medo da vítima de denunciar seus agressores ou, até mesmo, porque a criança ainda não tem desenvolvimento suficiente para entender que foi abusada.

O abuso sexual infantil caracteriza-se pela indução de crianças a atos e práticas sexuais. Atividades com caráter de exploração sexual, como o uso de crianças em prostituição ou em atividades pornográficas também são consideradas abuso sexual infantil.

Como identificar o abuso sexual em crianças e adolescentes

Nem toda a criança tem idade suficiente para conseguir verbalizar a violência. Muitas delas não sabem que estão sendo vítimas de abuso por não compreenderem o que é a violência, ainda que sintam algum tipo de desconforto, o que dificulta a identificação do abuso.

Por mais que a criança entenda que está sendo vítima, ela pode ser obrigada a se calar por medo, intimidação e por ser manipulada a não revelar o abuso, especialmente porque, em muitos casos, o abusador é alguém muito próximo da vítima e faz parte do seu ciclo social.

Apesar disso, alguns sinais são alertas para o que pode estar acontecendo. Sinais físicos, como região genital com hematomas, marcas de agressão pelo corpo, roupas íntimas manchadas, rasgadas ou com corrimento ou sangue são possíveis evidências. É preciso ficar alerta também a sinais comportamentais da criança, desde a mudança para uma atitude agressiva, ansiedade, vergonha, pânico, estresse, baixa autoestima, depressão, queda de rendimento escolar ou até mesmo comportamento sexual inadequado.

O que fazer ao identificar o abuso e como proteger as crianças da violência sexual

Estabelecer vínculo com a criança desde cedo é muito importante para que ela consiga identificar o abuso e relatar para alguém se algo fora do comum acontecer. É preciso explicar para a criança quais são as partes íntimas do seu corpo e que ninguém pode tocá-las ou vê-las, apenas quando pais ou pessoas em que a criança confia as auxilie a tomar banho ou trocar de roupa. Além disso, é preciso ter diálogo aberto com a criança, incentivando-a a contar tudo o que acontece com ela e instruí-la a não permitir e denunciar qualquer tipo de desconforto.

Caso tenha suspeitas ou identifique que a criança está sendo abusada, é preciso procurar um especialista que possa trazer orientações. Seja a busca em centros de referência de assistência social, institutos ou serviços de saúde que ofereçam apoio em casos de violência sexual, profissionais treinados podem encontrar caminhos para tratar o problema da melhor forma.

Como denunciar casos de abuso sexual infantil

DISQUE 100

Qualquer cidadão pode fazer uma denúncia anônima sobre casos de abuso infantil pelo Disque 100. A denúncia será analisada e encaminhada aos órgãos competentes.

SAFERNET

É possível fazer denúncias de maneira online pelo Safernet, organização social que recebe denúncias de crimes que acontecem contra os direitos humanos, incluindo pornografia infantil: new.safernet.org.br/denuncie

DELEGACIAS

Cada município conta com delegacias especializadas para receber denúncias e investigar casos de abuso infantil. Procure a delegacia mais próxima da sua região para obter informações de como seguir com as denúncias.

CONSELHO TUTELAR

O Conselho Tutelar é responsável pelo atendimento de crianças e adolescentes ameaçados ou violados em seus direitos e também os pais ou responsáveis dessas crianças. Procure uma sede dentro do seu município e compareça para obter mais informações.

 

Na PSISEG, temos psicólogos especializados em psicoterapia infantil, que podem oferecer acompanhamento para a família e para que as crianças tenham o suporte necessário em casos de violência. Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/03/psiseg_logo_braco_m.png

Visite-nos nas redes sociais:

https://www.psiseg.com.br/wp-content/uploads/2020/03/psiseg_logo_braco.png

Visite-nos nas redes sociais:

© Copyright 2020 – PSISEG – Todos os direitos reservados.

© Copyright 2020 – PSISEG – Todos os direitos reservados.